quarta-feira, 16 de maio de 2018

REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DO CONSELHO DE CULTURA PARA APOIO AO 1º ENCONTRO DOS(AS) APANHADORES(AS)DE FLORES SEMPRE-VIVAS


No dia 15 de maio de 2018 os conselheiros de Cultura de Diamantina se reuniram na Secretaria de Cultura, Turismo e Patrimônio para discutir apoio a realização do 1º Encontro dos(as) Apanhadores(as) de Flores Sempre Vivas. Com a participação da representante da CODECEX, foi relatado o processo de luta do movimento social, que desde 2010 luta por conquista de direitos. A secretária Márcia Betânia expôs as condições de realização do encontro neste momento de crise e a importância do evento que tem entre outros objetivos entregar o dossiê e lançar a candidatura que almeja a chancela de Patrimônio Imaterial dos Sistemas Agrícolas Tradicionais com importância Global, pela FAO/ONU. De Diamantina participam as comunidades dos territórios Mata dos Crioulos, Vargem do Inhai e a comunidade de Macacos. Os 10 conselheiros presentes apoiaram por unanimidade o apoio financeiro ao encontro e deram sugestões para contribuir com a organização do evento. O recurso sairá do fundo Municipal de Políticas Culturais.






quinta-feira, 19 de abril de 2018

Patrimônio Imaterial Municipal _ Guarda Romana


A Constituição Federal de 1988, em seus artigos 215 e 216, ampliou a noção de patrimônio cultural ao reconhecer a existência de bens culturais de natureza material e imaterial e, também, ao estabelecer outras formas de preservação como o Decreto nº 3.551, de 4 de agosto de 2000, que Instituiu o Registro de Bens Culturais de Natureza Imaterial que constituem o Patrimônio Cultural Brasileiro. 
No município de Diamantina, a Lei 3860 de 17 de setembro de 2014 instituiu o Registro de Bens Culturais de Natureza Imaterial, e no mesmo ano, atendendo aos dispositivos legais, foram registrados como Patrimônio Imaterial municipais, homologados pelo Decreto nº 0421 de 02 de dezembro de 2014, a Guarda Romana de Diamantina, a Festa do Divino Espirito Santo de Diamantina e o modo de fazer do Bolo de Arroz, respectivamente nos livros: Livro das Celebrações e Livro dos Saberes e Fazeres.
Os Bens Culturais de Natureza Imaterial dizem respeito àquelas práticas e domínios da vida social que se manifestam em saberes, ofícios e modos de fazer; celebrações; formas de expressão cênicas, plásticas, musicais ou lúdicas; e nos lugares.
A importância do registro de um bem imaterial é dentre outros pontos, o de valorizar tradições, conhecimentos, saberes e fazeres, que em grande parte são baseados em sua história oral e que, para sua perpetuação e manutenção precisa ser recriado.
Após o registro de um bem, ele se torna patrimônio cultural imaterial e passa a subsistir a obrigação pública de documentar, acompanhar, investir e apoiar a sua recriação. Neste sentido, em parceria com os detentores de cada bem registrado em esfera municipal, é elaborado o seu Plano de Salvaguarda, com o objetivo de sua recriação e como forma de manter sua tradição e sua história.
No âmbito da Política Municipal de Proteção ao Patrimônio Cultural, foi criado o Fundo Municipal de Preservação do Patrimônio que prevê investimentos, sobretudo, em benefício da conservação, promoção e recriação do patrimônio municipal.   Os investimentos deste fundo, são previamente autorizados pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio e Políticas Culturais de Diamantina, que posteriormente, após apresentação de prestação de contas, os aprova.
Assim, ações de recriação dos bens registrados são executadas e financiadas, em parte pelo poder público, desde o registro do bem, em 2014.
A Guarda Romana de Diamantina, no contexto da Semana Santa, apresenta-se como uma das mais tradicionais celebrações do Estado de Minas Gerais e insere-se como bem cultural imaterial no vasto patrimônio cultural diamantinense, estando inscrita no Livro das Celebrações (no qual são inscritos rituais e festas que marcam a vivência coletiva do trabalho, da religiosidade, do entretenimento e de outras práticas da vida social), devido a toda a importância que lhe é conferida dentro da celebração, assim como a particularidade dos seus toques e a execução de uma coreografia entre os guardas, o que marca um diferencial em sua participação.
Em 2018, ocorreram reuniões e encontros com elementos da Guarda Romana, investimentos em suas indumentárias, como reforma, manutenção e confecção de novas peças. Fornecido alimentação durante as apresentações da Semana Santa e realização de cadastro dos participantes. Anualmente, desde sua recriação é produzido relatório anual constando as atividades de recriação do bem. Este relatório é disponibilizado para os detentores e compõe o acervo da Diretoria de Patrimônio cultural, disponível para consulta in locu.
Márcia Dayrell França Botelho_servidora municipal_historiadora




               



       


















Patrimônio Imaterial Municipal _ Festa do Divino Espírito Santo


A Festa do Divino Espirito Santo de Diamantina foi reconhecida como patrimônio cultural imaterial municipal em 2014. Desde então, passou a subsistir a obrigação pública de documentar, acompanhar, investir e apoiar a sua recriação.
Neste sentido, em parceria com os detentores do bem registrado em esfera municipal, é elaborado o seu Plano de Salvaguarda, com o objetivo de sua recriação e como forma de manter sua tradição e sua história.
Em 2017 a Secretaria Municipal de Cultura, Turismo e Patrimônio- SECTUR, instituiu um Grupo de Trabalho, composto por familiares de ex-festeiros, Paróquia de Santo Antônio e servidores da SECTUR com o objetivo de dialogarem sobre a importância do bem no contexto da cidade de Diamantina e as dificuldades para encontrar pessoas e ou famílias, interessadas em realizar a manifestação, bem como elaborar o Plano de Salvaguarda para 2018. Objeto de discussão também, foi a importância do registro como manifestação tradicional de Diamantina e de seus elementos intrínsecos como marujada, caboclinhos, bolo de arroz, bandeira, folia do divino e outros elementos, que necessitam de ações que contribuam para a recriação e de um diálogo constante entre Igreja, SECTUR e comunidade diamantinense.

Desde então este grupo vem se reunindo com o intuito de manter a tradição. Em 2018, uma Comissão composta de quatro famílias de ex-festeiros realizará a Festa, tendo em vista nenhuma família ter se interessado em receber a Coroa ( o festeiro recebe a coroa do Império do Divino). Esta comissão é composta por Maria Marta Mota Couto, filha de Vito Ramos Couto, festeiro em 1949, Marcia Adriana Silva, filha de Francisco Salvador da Silva, festeiro em 1989, Jussara Maria Cruz Santos Fernandes, esposa de Antônio Moreira Fernandes Neto, festeiro em 2004, Geralda Parisi, esposa de Santiago Bruno Parisi, festeiro em 2015.

Em 17 de abril do ano em curso, a mencionada comissão reuniu-se na SECTUR para definir ações e atividades para as comemorações da Festa do Divino Espírito Santo, dentre elas o início do setenário do Divino Espírito Santo, em 13 de maio, domingo, com a tradicional distribuição do Bolo de Arroz de Diamantina, após a missa matinal; dia 17 de maio a Procissão dos Milagres e o cortejo dia 20 de maio, com saída da Capela Imperial do Amparo as 9:00. “ESPIRITO DE DEUS VEM ILUMINAR NOSSO VIVER E NOSSO CAMINHAR” é o tema da celebração/manifestação em 2018.

Como atividade do Plano de Salvaguarda, será realizada de 08 a 16 de maio no Museu do Diamante, exposição sobre a Festa do Divino.






segunda-feira, 16 de abril de 2018

Guarda Civil Municipal de Diamantina participa de curso de capacitação sobre Patrimônio Cultural

   Diamantina é uma cidade histórica conhecida por manter vivas suas manifestações culturais, preservar as belezas naturais e arquitetônicas. O patrimônio cultural de Diamantina é rico em bens culturais e imateriais que podem ser vistos através das manifestações artísticas populares, os saberes, os fazeres, as formas de expressões, lendas, celebrações, festas e danças populares, músicas, costumes e outras tradições. O patrimônio pertence à comunidade que produz os bens culturais que o compõem. É importante Conhecer e Reconhecer o Patrimônio, para que os cidadãos se identifiquem com a cultura local.  Por esse motivo torna-se relevante ter ações de Educação Patrimonial. Sendo essas indispensáveis para a preservação de bens culturais.
Na observância de capacitar os Guardas Civis Municipais foi realizado no dia 10 de abril (terça-feira) um curso de capacitação para servidores da Guarda Civil Municipal intitulado “Conhecer e Reconhecer o Patrimônio”; pensou-se na necessidade dos mesmos, terem um pouco de conhecimento formal sobre a história da cidade de Diamantina. Visto que, um dos entraves identificados por eles que estão em contato diretamente com a população local e visitantes se tratava da ausência de ações educativas voltada para a corporação e adequada à sua necessidade.
O curso foi uma ação de educação patrimonial da Secretaria de Cultura, Turismo e Patrimônio a pedido do prefeito sempre atento às necessidades de preservação do patrimônio. O curso teve como objetivo principal instigar nos guardas civis municipais um novo olhar em relação à cidade, não só como cidadãos, mas também como agentes culturais. Nesse curso foram mostradas a relevância dos bens culturais materiais e imateriais, as manifestações culturais tradicionais de Diamantina. Na sequência de outros módulos de formação se espera que os guardas possam assumir de forma mais protagonista o papel de educador cultural patrimonial além de sua função como guarda civil municipal, transmitindo informações e sensibilizando a quem for necessário.


A partir deste curso acreditamos estar contribuindo para um melhor desenvolvimento dos trabalhos desta classe e também para a melhoria da auto- estima de cada um deles, pois é importante realizar cursos de capacitação para a guarda civil municipal, sendo este um dos primeiros realizado para os mesmos.

Atualmente a guarda civil municipal é composta por 49 integrantes, por se tratar de funcionários que trabalham com escalas de trabalho e não ser possível todos interromperem suas atividades, participou do curso 24 guardas civis municipais e os professores do Programa Municipal de Educação Patrimonial, o restante da equipe da guarda realizará o curso de capacitação no mês de julho. Com 05 horas de capacitação os participantes tiveram 02 etapas do curso, na parte da manhã tiveram uma palestra com a historiadora Márcia Dayrell França Botelho com o tema: “Guardar o Patrimônio: um ato de cidadania”, no período da tarde participaram de uma visita técnica  centro histórico da cidade com direito a paradas em alguns pontos turísticos acompanhados por uma guia de turismo que, durante o percurso contou-lhes algumas histórias de Diamantina sobre casarões, igrejas, calçamento, personagens que contribuíram para a cidade ser conhecida.


Fotos;
                                         

                                           
                                         
                                                    Foto 01: Historiadora Mácia Dayrell em sua palestra sobre
                                                                  “Guardar o Patrimônio: um ato de cidadania”,
                                                                   (fonte: ASCOM, 10/04/2018).




                                         
                                            Foto 02: Foto com todos os participantes 
                                                                    da palestra no curso de capacitação
                                                                    (fonte: ASCOM, 10/04/2018).


                                                  

Foto 03: Guia turística Taysa Godinho em suas explicações 
                                                                 sobre o altar lateral barroco da Catedral
                                                                 (fonte: ASCOM, 10/04/2018).




                                                    Foto 04: Guardas Civis Municipais atentos  
                                                                   às explicações da funcionária e guia 
                                                                  do Museu do Diamante,
                                                                  (fonte: ASCOM, 10/04/2018).



                                                       Foto 05: Guia turística Taysa Godinho conta um pouco 
                                                                      da história do Beco do Motta
                                                                      (fonte: ASCOM, 10/04/2018).


                                                              Foto 06: Visita a casa de Chica da Silva
                                                                             (fonte: ASCOM, 10/04/2018).


                                                     Foto 07: Guarda Municipal Ronaldo Alves recebendo
                                                                    certificado de conclusão do curso
                                                                     (fonte: ASCOM, 10/04/2018).


                                                       Foto 08: Foto final com todos os participantes do curso,
                                                                     (fonte: ASCOM, 10/04/2018).